Diagrama de Caso de Uso Sem Segredos

0
127
Diagrama de casos de uso UML, aprenda como funcionam.
Diagrama de casos de uso UML, aprenda como funcionam.

Entenda o que é um diagrama de caso de uso .

O diagrama de caso de uso é um componente da linguagem de modelagem padrão de software, a UML (unified modeling language). Através da modelagem de um diagrama de caso de uso, é possível representar os requisitos de um sistema – funcionais e não funcionais.

O correto uso da linguagem UML durante o levantamento e análise de requisitos de um sistema auxilia no entendimento da lógica do sistema e do negócio a ser atendido, diminuindo a incidência de refluxos durante as fases de arquitetura, desenvolvimento e testes. Mesmo que a diagramação de casos de uso seja uma tarefa mais comum do analista de requisitos, é possível também que sua elaboração seja feita pelo analista de negócios da equipe.

Quais são os componentes de um diagrama de caso de uso?

Todo diagrama de caso de uso é composto por Atores, Caso de Uso e Indicadores de relacionamentoInclude e Extend. Através destes três tipos de representação é possível fazer modelagens complexas e úteis durante o processo de desenvolvimento.

Diagrama de casos de uso UML, aprenda como funcionam.
Diagrama de caso de uso UML, aprenda como funcionam.

Ator – Usuário da interação

É toda e qualquer entidade que interage em algum momento com o sistema, seja ele um software ou um sistema de negócios. É por padrão representado por um boneco, estilo “palito”.

Representação de um “ator” em um diagrama de casos de uso UML.
Representação de um “ator” em um diagrama de caso de uso UML.

Caso de uso – O requisito de sistema ou negócio a ser executado 

É a representação de toda e qualquer interação no sistema (seja ele um software ou não). Um caso de uso pode representar uma interação com um ou mais atores, uma interação com um ou mais casos de uso adicionais. Um caso de uso pode também representar uma interação com outros casos de uso e com um ou vários atores simultaneamente. A representação padrão é um círculo contendo em seu interior o título do caso de uso.

VOCÊ AINDA NÃO É CADASTRADO? 

Está esperando o que? Faça seu cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo de assinantes:

  • Você é novo por aqui? Cadastre-se!eBooks e livros PDF em português!
  • Vídeos sobre as principais discussões das principais disciplinas!
  • Ferramentas de UML, prototipação, modelos e exemplos!
  • Mini-cursos autorais sobre requisitos, teste e arquitetura de software!
  • Grupo EXCLUSIVO no WhatsApp! 

Vamos lá, faça seu cadastro com o Facebook ou Google Account, é só um segundinho!

Representação de um “caso de uso” em um diagrama de casos de uso UML.
Representação de um “caso de uso” em um diagrama de caso de uso UML.

Indicadores de relacionamento:

Em um diagrama de caso de uso elaborado na linguagem UML existem três tipos de relacionamentos possíveis, includeextend e herança. Os relacionamentos include e extend são representados por uma linha pontilhada com seta, já os relacionamentos de herança são representados por uma linha sólida com seta.

Include – Relacionamento de inclusão obrigatória

Indica que o tipo de relacionamento entre dois casos de uso implica na obrigatoriedade da execução do caso de uso que está sendo incluído no caso de uso base. De forma simples e genérica podemos dizer que quando um caso de uso “A” possui relacionamento do tipo include com o caso de uso “B”, sua execução deverá também executar o caso de uso “B”.

Representação de um relacionamento “include” em um diagrama de caso de uso UML.
Representação de um relacionamento “include” em um diagrama de caso de uso UML.

Extend – Relacionamento de inclusão opcional

Este tipo de relacionamento indica que dois ou mais casos de uso relacionados podem ou não executar o caso de uso que recebe o relacionamento do tipo extend. Exemplo: o caso de uso “H” possui relacionamento do tipo extend com o caso de uso “P”, tal relacionamento significa que ao executar o caso de uso “H” pode-se ou não requisitar a execução do caso de uso “P”. Trocando por miúdos, um relacionamento extend quer dizer que a execução do caso de uso relacionado é opcional, não implicando no sucesso da execução do caso de uso base.

Representação de um relacionamento “extend” em um diagrama de caso de uso UML.
Representação de um relacionamento “extend” em um diagrama de caso de uso UML.

Herança – Obtenção de atribuições e características entre usuários

O relacionamento do tipo herança ou ainda chamado de patern,  é o relacionamento possível entre dois ou mais atores. O correto uso da UML não permite o relacionamento de herança entre casos de uso. Mesmo assim é comum encontrar diagramas onde o analista representou tal relacionamento. Quando dois ou mais atores de um diagrama de casos de uso estão relacionados com uma herança indica que o ator que solicita a herança de outro ator, deve herdar todas as permissões e características do ator que recebe o relacionamento. Este tipo de ligação entre atores é extremamente útil para o reaproveitamento de características em diagramas que representam sistemas complexos.

Representação de um relacionamento “herança” em um diagrama de caso de uso UML.
Representação de um relacionamento “herança” em um diagrama de caso de uso UML.

 

Entendendo um caso de uso.

Uma vez que tenhamos bem claro quais são os componentes de um diagrama de casos de uso vamos entender como ele é elaborado. Abaixo mostraremos um exemplo de diagrama de caso de uso extremamente simples, apenas para representar seu uso. Não se preocupe, mesmo que pareça ter pouco sentido, o diagrama é muito fácil de entender e útil.

Relacionamento de herança.

O diagrama acima é composto por dois atores diferentes e cinco casos de uso distintos. Logo de início, podemos observar que entre o ator “Cliente” e o ator “Usuário” existe um relacionamento de herança, indicando que o “Cliente” herdará todas as atribuições e permissões do ator “Usuário”.

Relacionamento de execução.

O caso de uso “Realizar cadastro” possui um relacionamento de execução com o ator “Usuário”, indicando que tal ator pode solicitar o caso de uso.

Relacionamento de inclusão e extenção.

O caso de uso “Consultar Cardápio” também é acionado pelo ator “Usuário”. Diferente do caso de uso anterior, este possui um relacionamento do tipo include com o caso de uso “Efetuar login”. Ele indica que para a execução do “Consultar cardápio” obrigatoriamente o caso de uso “Efetuar login” deve ser executado.

Este caso de uso possui ainda um relacionamento do tipo extend com o caso de uso “Realizar pedido”. O extend entre os dois casos de uso citados, indica que o caso de uso “Realizar pedido” pode ou não ser executado em decorrência do seu extensor (“Consultar cardápio”).

Por último existe o caso de uso “Efetuar pagamento”, que é incluído (relacionamento tipo include) pelo caso de uso “Realizar pedido”. Este relacionamento está definindo a obrigatoriedade da execução do incluído para a finalização do caso de uso base.

A importância do domínio da notação UML.

Quando elaborados por analistas que dominam o sistema de notação UML, os casos de uso tornam-se uma importante ferramenta de documentação e validação que pode e deve ser combinada com o documento de requisitos utilizado pela equipe, sendo fundamental para a engenharia de requisitos atual.

Para conhecer mais sobre UML clique aqui, temos mais conteúdo sobre esta linguagem. Se quiser ver mais artigos sobre engenharia de requisitos consulte a categoria em nosso site.

O entendimento de diagramas UML não apresenta maiores dificuldades, já que seus elementos e simbologia são altamente lúdicos. Entretanto, mesmo considerando a facilidade de entendimento é necessário que os envolvidos tenham domínio da notação UML. Caso contrário a utilização de tais diagramas pode impor riscos graves para o projeto.

 

Sobre o autor:

[simple-author-box]

Previous articleComo escrever uma User Story fantástica
Next article5 técnicas de levantamento de requisitos de software
Chico Alff é o nome da persona de batalha de Francilvio Roberto Alff. Paranaense apaixonado por São Paulo, possui formação em Engenharia de Software, Análise e Desenvolvimento de Sistemas para Internet, História e Língua italialana e recentemente Engenharia Civil. Frequentou os bancos acadêmicos tanto no Brasil quando na Itália, precisamente na Università degli Studi di Verona. Trabalha com  desenvolvimento de software desde 2010, tendo lançado âncora no mar da Análise de Requisitos, Análise de Negócios e Gerenciamento de Projetos, com experiência em projetos para a administração pública, sistemas de ERP, contábil e fiscal. Atualmente trabalha com consultoria e desenvolvimento de projetos ad hoc na sua pequena cria do coração, a Walküre Smart, e mantém o portal AnálisedeRequisitos.com.br como paixão.